domingo, 21 de agosto de 2011

Maracujás na Calçada





No nordeste quase sempre é estação, até parece  moda, mas é fruta. 
Do tupi que origina o nome, é aquele que serve, como cuia pra saciar a sede. 
Planta rasteira, trepa onde lhe estendam galhos. 
Se ela diz que a acalma, nele, seu cítrico acelera. Mas disto não fariam a guerra dos sexos - ou talvez ao pé da letra -  pois sobre todos os sentidos, perdê-los é a especialidade humana.
E se para ela é o cheiro que traz o gosto, 

é na ponta da língua que ele comprova o doce.


Raiana Reis

3 comentários:

Poeta da Colina disse...

A natureza sabe mais.

22/8/11 21:27
JR Gilmour disse...

Prosa poética regionalista de muita qualidade. Parabéns Raiana.

11/11/11 11:54
Luciano Fortunato disse...

prosa poética e... erótica. belíssimo, raiana! um diamante lapidado.

11/11/11 11:56
Blog Widget by LinkWithin
 

©2011, | by TNB