sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Amor e drama


E gosta de viver assim, aquela moça: um tipo peculiar de feiticeira autofágica - adora alimentar-se de seus dramas lacrimosos, reais frutos de um coração imaginário. Vagueando por corredores, chora as pitangas em nuvens espessas, o sol não irradia por muito tempo.
A princípio suas doçuras até aparentam raras delícias. - Desculpe-me querida, mas não por falta de romantismo, enxergo dissabores em teus encantos... É por adoçar demais que se passa do ponto, e ninguém merece o peso de Detentor de felicidades.
Denomina-se intensa, mas na sua lambedoria há contrato exclusivo aos amores intangíveis - Não se vê em algum momento a leveza de um amor próprio. 
Esqueça os dramas, o amor não é muleta.

Raiana Reis

3 comentários:

Gil Façanha disse...

Muito bom! Me fez lembrar alguém que conheço. Você escreve muito bem. parabéns. tenha um ótimo final de semana.

18/9/10 08:15
Robson disse...

O amor não é muleta é perfeito! não! não é! como sempre seus textos surpreendem pela simplicidade de ser real!
adorei!

18/9/10 23:43
felipere disse...

Hoy mi tristeza és pasagera,traigo fiebre de la verdadera y cuando llegué la noche cada estrella parecerá una çágrima,no me digas nada ,quisiera ser como todos ,pasar feliz por la vida ,y fingir que estoy siempre bien ver el color de cosas con humor,bo me digas nada,pero mal siempre pása ,el futuro sera bueno ,todo pása..cuando todo esta perdido siempre queda una salida

19/9/10 03:22
Blog Widget by LinkWithin
 

©2011, | by TNB